sejam bem vindos

SEJAM BEM VINDOS AO BLOG DA UNIÃO DA JUVENTUDE SOCIALISTA DE VITORIA-ES

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O Festival
O 16º Vitória Cine Vídeo – 13ª Mostra Competitiva Nacional será realizado de 30 de novembro a 05 de dezembro de 2009, em Vitória (ES), com o objetivo de apresentar uma programação gratuita com as mais recentes realizações de cinema e vídeo do Brasil.
A valorização da formação é destaque no festival capixaba, que apresenta, anualmente, uma programação de oficinas, debates, palestras e encontros voltada para a capacitação e a reciclagem, incentivando a troca de conhecimentos entre realizadores locais e profissionais do mercado nacional.
O VCV também estimula diretamente a produção local por meio do Concurso de Roteiro Capixaba, que premia roteiros escritos por autores residentes no Espírito Santo e viabiliza a produção através de parcerias com empresas e entidades do setor audiovisual. Este ano, será promovida a 11ª edição do Concurso de Roteiro Capixaba.
As ações de formação incluem projetos sociais e culturais voltados para crianças e adolescentes. Durante a semana do VCV, o Festivalzinho de Cinema leva ao cinema cerca de 3.500 alunos da rede pública municipal de Vitória, que assistem a uma programação especial para o público infanto-juvenil.
O festival também abre espaço para o lançamento dos filmes do Projeto Animação, que promove oficinas anuais de animação para 150 alunos da rede pública municipal de ensino de Vitória. Mais de 1000 estudantes já participaram das atividades, que resultaram em sete curtas premiados em festivais no Brasil e no exterior. Em 2009, será lançado o 8º curta-metragem em 35 mm produzido através do Projeto Animação.
O VCV é, também, um importante espaço de difusão para o cinema de animação fora dos festivais especializados, exibindo uma média de 15 títulos a cada edição e oferecendo uma premiação específica para a categoria.A programação do Vitória Cine Vídeo inclui ainda Cine Galpão Itinerante, Cinema na Praia, Concurso de Flipbook e Crítica Cinematográfica, lançamento de livros e homenagem a um grande nome do cinema brasileiro.


confira a programaçao no linck.
http://imazul.org/16vcv/

Ana claudia
cordenadora do nucleo de cultura

Fantasiados, drag-queens, casais e simpatizantes não se importaram com o forte calor deste domingo (29) e participaram da festa com muita animação. Uma mistura heterogênea de pessoas tomou conta das ruas d0 bairro Campo Grande em Cariacica, durante a sétima edição do Manifesto de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) do município.Segundo a presidente da Associação Arco-íris Espíritossantense, Hellen Biazzart, Cariacica ficou um período sem receber um manifesto LGBT porque não havia grupos interessados em assumir a organização de um evento de grande porte. Segundo ela, a intenção e reforçar movimentos do gênero."O município de Cariacica é o que agrega o maior público em paradas e manifestos gays. Estamos realizando essa caminhada com muito orgulho. Já está começando o movimento muito bonito, muito colorido, vamos resgatar nossa cidadania, o respeito. Queremos que a sociedade diga não ao preconceito e à discriminação", ressaltou Hellen.Entre os participantes homossexuais, muitos não escondiam o clima de romance. É o caso de Leonardo e Fábio, que apesar de uma diferença de idade de 17 anos, foram ao manifesto vestidos de policial e prisioneiro."Desde o primeiro dia nos sentimos presos um ao outro. A gente veio aqui para levantar nossa bandeira, nosso orgulho, e mostrar a todo mundo que o mundo é muito mais colorido que as pessoas pensam", afirmou Leonardo.
foto: Eduardo Fachetti
O casal Leonardo e Fábio chamou a atenção pelo figurinoApesar de assumirem o romance no Manifesto, o casal prefere esconder sua condição em público, fora do evento. "Por ora, a gente está se conhecendo, tem que ser uma coisa mais tranquila, mais normal. A gente não pode agredir a sociedade. Aqui é um movimento para a gente se sentir livre e bem, mas lá fora a gente tem que ser mais reservado. No momento certo, demonstramos nosso carinho", explicou Fábio.O secretário de Cidadania e Trabalho de Cariacica, Jorge Davel, que foi ao 7º Manifesto LGBT representando o prefeito Helder Salomão, afirmou que o público pode esperar o apoio da administração pública em novos eventos, além de ações de apoio aos homossexuais.Para garantir a segurança do público, a Polícia Militar marcou presença com três viaturas e 60 homens fardados. Durante as dez horas do evento, o público pôde conferir muita música, shows e apresentações que enalteceram a presença homossexual em Cariacica.

Hullifas lopes.
cordenador do nucleo LGBT.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

ENTREVISTA

Caetano atacou a desonestidade da Veja; O Globo fez que não ouviu
O Globo escondeu de seus leitores a melhor parte da entrevista que Caetano Veloso concedeu ao jornalista e blogueiro Jorge Bastos Moreno. O depoimento omitido na edição desta quinta-feira (26) do jornal — mas apresentado em áudio na Rádio do Moreno — é uma enfurecida denúncia de Caetano contra a revista Veja. Por André CintraClassificando os articulistas da Veja como “desonestos”, o cantor e compositor baiano citou um caso exemplar da desmoralização pela qual passa a publicação da Editora Abril, da família Civita. O episódio ocorreu em setembro de 2005, quando Veja publicou uma matéria desaforada contra o DJ norte-americano Moby. “Ele diz tanta besteira que até parece o brasileiro José Miguel Wisnik — aquele sujeito que acredita que o termo ‘Big Bang’ é uma apropriação anglo-saxã da origem do universo”, escreveu Sérgio Martins na revista.Wisnik, no entanto, jamais teceu qualquer comentário do gênero sobre a expressão “Big Bang”. A tal “apropriação” a que Veja se refere foi feita, na realidade, por Caetano, que escreveu para a revista e corrigiu as informações. Além de a carta nunca ter sido publicada, Veja voltou a atribuir a “apropriação” a Wisnik mais duas vezes. “Nunca mudaram, são desonestos. Eu não falo com eles. Outras coisas houve antes, mas essa é inacreditavelmente canalha”, resume Caetano, na entrevista.O cantor também faz um alerta sobre “toda essa crítica à esquerda, ao governo Lula, tudo aquilo que você vê na Veja”. Segundo Caetano, “a classe média instruída brasileira não lê direito a Veja, não acredita tanto. Mas a medianamente instruída se pauta muito por uma possível honestidade jornalística daquele veículo. Esse gente precisa ser avisada de que não há, nem de longe, sombra de honestidade naquilo”.


confira toda entrevista no linck do portal vermelho.
http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=120193&id_secao=6

Anderson chagas
presidente ujs-vitoria

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Povo brasileiro é o grande homenageado do 12º Congresso do PCdoB

Teve início na noite desta quinta-feira (5) o maior congresso da história do PCdoB. O povo brasileiro – representado em sua diversidade na mesa do plenário por negros, índios e brancos – foi o escolhido como homenageado dos comunistas. O ponto alto da noite foi a intervenção do presidente Renato Rabelo. Quarenta e nove delegações de 32 países estavam presentes.

Assita aqui o Congresso ao vivo

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Entrevista

Vendo o programa Show da Gente do SBT fiquei interessada no que o artista ‘Zé do Caixão’ disse sobre a ditadura militar, enquanto muitos brasileiros acreditam ainda que a ditadura militar foi uma das melhores coisas que já aconteceram para o país, ele conta um pouco como sofreu por ser artista, tendo sido preso e ameaçado de perder as fitas com os seus trabalhos. ‘Zé do Caixão’ também citou que a ditadura prendia os estudantes que nada tinham, e que a ditadura prendia e censurava tudo que não entendia. Para finalizar a conversa Netinho apresentador do programa lembrou uma antiga música cantando um pedacinho: Quem se apaixonou por Che Guevara até tapa na cara levou. O que me intriga é ver que hoje ainda muitos jovens tem a mesma mentalidade de seus pais e avós que acreditam que a ditadura militar foi boa para o Brasil. Mas felizmente a UJS vive para a luta contra toda forma de preconceito e de alienação popular. Pois o lema que seguimos é: ‘LUTAR, VENCER E NUNCA DESISTIR.’
Fernanda Campos Malverdi
Sec. de Organização - UJS Vitória
Ocorreu um erro neste gadget